Escolar

Quais são os tipos de caneta que a sua papelaria tem que ter?

março 6, 2019

As canetas estão presentes na rotina das pessoas da infância até a vida adulta. Logo, é esperado encontrá-las dentro de casas, empresas, escolas, universidades, escritórios e estabelecimentos diversos. As utilidades desses objetos são tantas que incentivam o mercado a oferecer uma infinidade de modelos.

Quem trabalha com essa categoria de materiais precisa entender que a variedade de produtos é tão importante quanto um bom atendimento. Mas você sabe quais tipos de caneta devem fazer parte do estoque de sua papelaria? Acompanhe o nosso artigo e descubra!

Quais são os principais modelos de caneta?

Simples ou sofisticadas, artísticas ou profissionais, as canetas são objetos essenciais em diferentes atividades. É por esse motivo que os fabricantes se preocupam em adaptar suas características às necessidades dos usuários.

Conhecer os melhores tipos de caneta é uma ótima forma de diversificar as mercadorias e, consequentemente, agradar a clientela. Veja abaixo alguns dos modelos mais comuns para investir.

Tinteiro

A invenção foi patenteada em 1884 por Lewis E. Waterman e se divide em corpo e tampa — esta pode ser fixada por meio de pressão ou rosca. Como o próprio nome indica, essa caneta tem um reservatório recarregável onde são colocadas tintas a base de água e pigmentos colorantes.

Os modelos mais comuns são fabricados em metal ou plástico, mas é possível encontrar exemplares feitos com material acrílico ou revestimentos nobres, como prata e ouro. Atualmente, as canetas tinteiro são muito procuradas para a execução de desenhos técnicos e trabalhos artísticos.

Esferográfica

Está entre os principais produtos para papelaria e seu tubo é composto por uma ponta que contém uma pequena esfera rolante. Foi inventada em 1930 pelo húngaro László Biró, que percebeu que a tinta empregada em impressões de jornais secava rápido e não deixava borrões no papel.

A utilização de uma esfera permitiu a distribuição uniforme e constante de uma tinta espessa que não fluía de maneira regular. Dessa forma, era possível tingir o papel e, ao mesmo tempo, vedar o reservatório para impedir que a tinta secasse dentro do tubo. Hoje é umas canetas mais utilizadas em todo o mundo.

Hidrográfica

Foi criada por uma empresa japonesa em 1960. Se caracteriza pela presença de uma ponta de feltro que, em contato com a tinta, fica úmida e transfere o pigmento para o papel. Os modelos são variados, com pontas de tamanhos distintos e cargas de tintas especiais para cada necessidade.

As famosas “canetinhas” coloridas são bons exemplos de hidrográficas. Além delas, é possível encontrar outros subtipos da mesma categoria: marcadores de texto, para quadro branco, permanentes, de segurança e de eleição. Tal variedade prova que se trata de um modelo bastante requisitado pelas pessoas.

Marca texto

Dentro do grupo das hidrográficas, essa caneta se diferencia das demais por utilizar pigmentos fluorescentes. A ideia de incluir cores chamativas surgiu em 1970. Desde então, a proposta deu origem a vários modelos que produzem linhas grossas e evidentes, perfeitas para destacar trechos ou frases de textos.

Quem procura esses tipos de caneta precisa de instrumentos eficientes para marcar livros, apostilas e outros materiais de estudo. Logo, é interessante que donos de papelaria se preocupem em fornecer modelos de diversas cores e tamanhos, seja com carga de tinta ou gel.

Nanquim

É o mesmo princípio da caneta hidrográfica, mas seu pigmento é mais concentrado e resulta em um traçado forte e marcante. Por esse motivo, costuma ser utilizada em finalizações de desenhos e artes diversas, a fim de deixar o trabalho com um acabamento impecável (semelhante a uma impressão).

Existem canetas nanquim recarregáveis e descartáveis, ambas com diferentes espessuras de ponta. Para se ter uma ideia, a tinta empregada nesse modelo já foi feita a partir de uma substância liberada por moluscos marinhos. Hoje a tintura é obtida a partir da mistura de um pó escuro (fuligem) com aglutinantes.

Porosa

Essa caneta traz uma ponta porosa feita com fibra sintética, unindo o sistema das canetas hidrográficas com as bolinhas das esferográficas. Os primeiros modelos foram desenvolvidos em 1962 e funcionavam da seguinte maneira: a tinta do tubo era absorvida por uma ponta porosa que molhava a parte traseira de uma pequena esfera metálica.

A caneta porosa é conhecida como Rollerball e se destaca por proporcionar uma escrita macia e suave. Assim como os outros tipos, pode apresentar cores, tamanhos e designs diferenciados — o que é uma vantagem para pessoas que valorizam a variedade de opções na hora de comprar.

Quais tipos de caneta uma papelaria deve ter?

Trabalhar com um bom mix de produtos é essencial para se destacar no mercado, divulgar sua marca e possíveis ofertas, atrair novos clientes e fidelizar aqueles que já conhecem sua papelaria. A regra também vale no momento de repor as canetas, afinal, cada modelo é desenvolvido para uma finalidade específica.

Os tipos citados no tópico anterior são boas apostas para investir e realizar vendas a públicos variados. É claro que algumas opções devem ser adquiridas em maior quantidade, a exemplo das esferográficas. Isso porque são mais populares, têm preços acessíveis e atendem diversas necessidades — graças à ergonomia do corpo e à variação de espessura de ponta.

Não é à toa que a caneta esferográfica se tornou a preferida de estudantes, empresários e profissionais de diferentes áreas. Inclusive, é o modelo mais utilizado em testes e provas de concursos públicos. Sua durabilidade em relação a outras canetas também costuma ser maior, o que representa uma grande vantagem.

As hidrográficas, porosas, tinteiro, nanquim e marca texto são ótimas para complementar as prateleiras de sua papelaria. Dentro de cada categoria, há modelos com tecnologias que agregam inúmeros benefícios aos produtos. Isso explica porque é tão fácil encontrar canetas que promovem maior controle de traço, escrita ágil, rápida secagem, entre outros diferenciais que geram conforto.

Mais que pensar em variedade, é fundamental ficar de olho nas tendências do mercado para encontrar itens de qualidade. Agora que você sabe quais tipos de caneta devem fazer parte de seu negócio, vá em busca de fornecedores que possam atender sua demanda e entregar bons produtos a preços justos.

Gostou do artigo ou acredita que outro item merecia aparecer em nossa lista? Fique à vontade para deixar sua opinião no espaço de comentários!

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply